Moda e Beleza

Beauty Fair 2017- Realidades

Luz e Listras: Beauty Fair 2017- Realidades

Está chegando ao fim mais uma edição da Beauty Fair 2017.

Quem me acompanha aqui no blog sabe que tive a oportunidade de conhecer a Beauty Fair 2017 no sábado. Fiz um post antes de ir contando as minhas expectativas sobre a feira.

Estava super ansiosa pelo evento, afinal, o meu trabalho como blogueira é de trazer essas novidades sempre em primeira mão para vocês.

Fui para a Beauty Fair 2017 com o intuito de conhecer os lançamento para gerar conteúdos e claro, fazer networking.

Sempre vi muitas meninas falando maravilhas sobre o evento mas, na minha opinião, algumas coisas deixaram a desejar.

Beauty Fair 2017: Expectativas vs Realidade

Resolvi escrever esse post para fazer um comparativo entre a expectativa (que descrevi no outro post) e a realidade (que presenciei).
Separei em tópicos o que gostei e o que não gostei. É importante lembrar que esse post reflete a minha opinião como blogueira, e você tem todo o direito de discordar.


O que gostei na Beauty Fair 2017:

1. A feira é gigantesca:

Não há como negar a estrutura do local, uma feira repleta de expositores, segurança, informação e profissionais.

2. Existem inúmeras possibilidades para negócios:

Para os profissionais da área, é uma excelente oportunidade para adquirir aquele produto com um preço super especial. Você tem a liberdade de negociar diretamente com o fabricante.

3. Palestras, cursos e workshops com profissionais renomados:

Acredito que essa seja a parte mais legal da Beauty Fair 2017. Adquirir  conhecimento é sempre maravilhoso, mas adquirir conhecimento com aquela pessoa que você admira, aí sim tem um valor ainda mais especial.

4. Mapa do evento era muito prático e direto:

Como foi a minha primeira vez na feira, eu estava completamente perdida, até que encontrei um mapa do evento rss. Extremamente claro e de fácil compreensão.

5. Divisão por categorias:

As marcações eram bem definidas e os estandes separados por categorias, 0 que ajuda o profissional que queira focar no seu segmento. Outro ponto positivo para a feira.

6. Marcas Simpáticas:

Algumas marcas possuíam um cantinho específico para blogueiros, eram super receptivas e abertas para conversar e tirar as dúvidas.


A primeira empresa que me atendeu foi a Top Beauty, nela havia um cantinho especial para mostrar as novidades da marca para as blogueiras. O atendimento foi maravilhoso, era possível testar os produtos, tirar dúvidas e levar os informativos para casa. Elas ainda pegavam o nosso cartão de visitas para entregar à assessoria de imprensa.

Outra empresa que tinha esse Cantinho Digital era a Catharine Hill. Um espaço fechado onde tínhamos que agendar um horário para conferir os lançamentos da marca. Mais uma vez o atendimento foi impecável. Fomos muito bem recebidos, a apresentadora falou sobre o conceito e a inspiração da marca para os lançamentos. Assistimos ao making off da campanha e pudemos testar os produtos. Saímos de lá com uma sacola com release e um dos produtos do lançamento.

Também tinham marcas que não possuíam esse Espaço Digital, mas o atendimento era tão bom, que vale a pena ser citado aqui.

Andando pela feira encontrei um estande que me chamou atenção, um local clean e aberto, vi que era da Tangle Teezer (aquela escova mágica). Entrei no estande para ver as escovas de perto (ainda não havia testado nenhuma) e fui surpreendida pelo excelente atendimento. Um rapaz muito gentil e extremamente atencioso me mostrou todos os produtos (antigos e lançamentos), me explicou tudo sobre eles, deixou que eu experimentasse e foi extremamente educado. Eu fiquei com vontade de perguntar mais coisas sobre a escova (maravilhosa por sinal) mas…

O que não gostei na Beauty Fair 2017:

1. Fila para retirar credencial:

Essa parte de organização na distribuição dos crachás era um pouco cansativa. A equipe deveria auxiliar as pessoas para que elas fossem para outras filas. Tinha fila gigantesca e um outro lugar que encontrei que estava vazio.

2. Credencial da blogueira:

Quando você chegava nos estandes (alguns) e eles viam que você era blogueira, eles te tratavam de uma maneira muito chata.

O que acontece aqui é algo que vai muito mais longe. A crítica vai para as empresas que não quiseram mostrar os seus lançamentos, e aos blogueiros que agem como “caçadores de brindes”.

As empresas não nos viam como possíveis parceiros, por causa de algumas pessoas que entravam nos estandes apenas para retirar os brindes. Sem o real objetivo de conhecer o produto.

Uma prova disso é que os estandes onde não haviam distribuições de brindes, estavam completamente vazios. Neles o atendimento era impecável. Como exemplo, temos a Top Beauty e Tangle Teezer.


3. Outras blogueiras:

Diferente dos outros eventos que fui, na Beauty Fair 2017 eu achei as blogueiras muito fechadas. Tentei conversar com algumas, mas elas sempre se isolavam. Era como se elas me vissem como concorrente e não como uma colega de profissão que poderia até quem sabe ser uma parceira.

Aqui deixo uma dica  que li hoje: “Se você quer ser uma pessoa que fecha negócios, comece a agir como quem tem vontade de fazer negócios”.

4. Caçadores de brindes:

Muitas das pessoas que se diziam blogueiras estavam ali apenas para conseguir ganhar um brinde da marca X ou da marca Y.

Eram filas imensas que você tinha que enfrentar para conseguir sair com a tão falada sacola da marca X. Nos corredores o que mais se ouvia era: “Vamos para a marca Y pois tem bastante brinde”.

Era lamentável!

5. Alguns estandes pareciam mais com uma “Feira Livre”:

Era algo surreal. Apresentadores gritando, jogando prêmios e pessoas sendo feitas de bobo para conseguirem os seus brindes.
Mais uma vez não posso generalizar, mas isso acontecia na grande maioria dos estandes.
Lembra que falei que queria perguntar mais coisas sobre a Tangle Teezer? Então, eu não perguntei pois o barulho que vinha do estande da frente estava me deixando louca.

6. Você não pode conhecer todos os lançamentos:

Mais uma coisa que me deixou frustrada. A grande maioria dos estandes estavam destinados a exibir os lançamentos apenas para quem estivesse com o crachá de Profissional. Se as empresas não olham para os blogueiros como uma ponte de divulgação do seu produto (não olham como profissionais), pra que permitir o nosso credenciamento?

Existem inúmeras coisas que eu poderia listar aqui para vocês, mas procurei resumir um pouco o minha frustração com o evento e com os blogueiros.

Com os blogueiros?

Sim, pois se eles agissem de uma maneira profissional, certamente as empresas seriam mais receptivas.
Talvez falte um certo rigor por parte do evento em verificar se aquele blog realmente existe.
E mais, espero que você entenda que esses tipos de feira não devem ser visto como uma oportunidade louca para conseguir ganhar tudo. Você deveria honrar a sua credencial de BLOG e fazer contatos. Assim se as empresas gostarem de você, eles irão procurar o seu blog, ver se você se encaixa no perfil do cliente dela e quem saber fazer parcerias com você.
Esse contato vale muito mais que qualquer amostra grátis.

Mas não vou deixar de criticar as marcas não. Vocês deveriam tratar melhor as pessoas que um dia possam ser seus parceiros. Olhar com desprezo para uma pessoa que está ali tentando pegar informações para gerar um conteúdo que divulgar a sua marca, só faz com que você perca grandes oportunidades.

Conclusão

Sei que eu deveria ter andado por mais tempo na feira e ter conhecido outros estandes, mas o desgosto no setor de Maquiagem e Unhas foi tão grande, que eu estava em ponto de ter uma crise de estresse.


Queria agradecer aqui as marcas que me atenderam extremamente bem,  Top Beauty, Catharine Hill e Tangle Teezer, vocês estão de parabéns.

Além dessas marcas, fui em mais 4 estandes que me deixaram indignada e insatisfeita. Por causa delas, do excesso de barulho dos estandes e pela maneira que esses estandes agiam, resolvi ir embora sem nem ao menos poder visitar outras marcas.

Até vou deixar uma dica para empresas que expõem na Beauty Fair, exijam que todas as empresas trabalhem com respeito (e som baixo), pois por causa delas, vocês acabam sendo os mais prejudicados.

Se eu voltaria? Talvez. Se as empresas se comprometessem a mudar esse olhar aos blogueiros que realmente querem trabalhar, criando um outro método de abordagem, sim. Mas se nada mudar, a resposta é não.

Luz e Listras: Beauty Fair 2017- Realidades

Expo Center Norte: Beauty Fair 2017 – Luz e Listras

 

Bom, essa foi a minha experiência como blogueira na Beauty Fair 2017.
Deixo aqui bem claro que essa foi a minha opinião.

Se você quiser saber mais sobre mim, me siga no Instagram (@flavialuzz). Lá eu sempre mostro o meu dia-a-dia e as minhas opiniões.

Você Também Pode Gostar

Sem Comentários

Deixe uma Resposta